.

 photo banner_sendadeluz.gif

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

IRMÃOS PROBLEMA (Emmanuel)

Votos de BOM ANO NOVO !
Bençãos Divinas em todas as vidas.
SENDA de LUZ
(Aluena)


MOMENTO de Reflexão

IRMÃOS PROBLEMAS
Emmanuel


Estudando as lições da consanguinidade, não olvides o irmão problema que te associa ao roteiro nas provações da família.

É o velhinho entregue à caducidade celular, reclamando tolerância e carinho, pela inconveniência das manifestações em que se desequilibra.

É o doente cronificado, exigindo compaixão e devotamento no leito a que se recolhe.

É o obsidiado imerso em profundas perturbações, pedindo caridade para que se lhe atenue o padecimento.

É a criança retardada, solicitando ternura a fim de cumprir a pena redentora a que se impôs na Vida Espiritual, para ressarcir os débitos que lhe oneram o campo íntimo.

É o delinqüente abatido, que requisita abnegação para que se lhe soergam as forças no trabalho da regeneração e da cura.

Decerto, muitas vezes, desejarás o asilo para o ancião, o ancião, o hospital para o enfermo, o sanatório para a cabeça demente, a casa de reajuste para a criança infeliz e o presídio para o companheiro que se arrojou às obscuridades do crime, contudo, não te esqueças de que o irmão problema é alguém que chega de longe, a reaproximar-se de ti, no instituto genético para que, na partilha do mesmo sangue, se consagre contigo ao pagamento das dívidas que ainda te enodoam também os passos perante a Divina Justiça.

Lembra-te de semelhante realidade e tanto quanto possível abraça nele a obra de teu próprio burilamento, na certeza de que auxiliá-lo a desenfaixar-se das teias da sombra é levantar a ti mesmo para a bênção da luz.

Livro "Juntos Venceremos - Francisco Cândido Xavier - Autores Diversos
----------------------------------------------------------------------------

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

ORAÇÃO à ESTRELA DIVINA

Estrela do Natal,
Que iluminaste a Grande Noite,
Indicando a Manjedoura Sublime,
Torna a resplandecer, por misericórdia,
No céu da consciência dos homens
Pastores dos interesses de Deus,
Na terra maternal.

Dissipa a escuridão da meia noite,
Rasga a visão dos cumes radiosos,
Para que os vales terrestres sejam menos sombrios!

Ordena a teus raios salvadores
Que revelem
Os lares angustiados,
Os corações doridos,
As mansardas sem pão,
Os templos sem fé,
Os campos ao abandono!...

Descortina a senda
Que reconduz ao Mestre da Verdade
E descerra, aos olhos dos novos discípulos,
Os antros do ódio e da separação,
As cavernas do egoísmo,
Os espinheiros do orgulho,
Os venenosos poços da vaidade.

Ocultos em si mesmos,
Para que se libertem de todo o mal
E te ouçam o chamamento bendito e silencioso,
A simplicidade edificante
Que renovará o mundo para a felicidade eterna.

Estrela do Natal,
Não te detenhas sobre as nossas úlceras,
Não nos fixes a miséria multissecular,
Desfaze as sombras espessas
De nossa ignorância viciosa
E arrebata-nos à compreensão
Do Senhor da Vida,
Do Condutor Divino,
Do Príncipe da Paz.

Esclarece-nos a alma conturbada
E Guia-nos, fraterna,
A benção do reinício
Na manjedoura singela
Do bem que rectifica todas as faltas,
Balsamizando feridas,
Santificando esperanças,
A fim de que nos façamos, de novo,
Humildes caminheiros de tua luz
Ao encontro sublime de Jesus_
_ O Cristo vivo, augusto e perenal,
Para o reinado da bondade humana,
Sob a paz verdadeira e soberana
Pelo Amor Imortal!

Fonte: LIVRO: Relicário de Luz (Autores Diversos)
Autor Espititual: EROS
Psicografada por: Médium: Francisco Cândido Xavier

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

REERGUEI-VOS!

Filhos,reerguei-vos da queda em que,inadvertidamente,vos arrojastes.

Não permaneçais estirados no chão do desespero e da inércia, aguardando que mãos anónimas e abnegadas tomem por vós a decisão que vos compete de prosseguir caminhando com os próprios pés.
Levantai-vos e continuai, vacilantes embora.
Reconsiderai a trajectória e acautelai-vos contra possíveis novas quedas.
Mantendo-vos o tempo todo vigilante senão vos descureis um só instante da armadilha traiçoeira de vossas mazelas.
Apoiai-vos nos encargos que vos cabe cumprir, em relação ao próximo, e não vos concedais excessivo tempo nas necessidades pessoais.

Esquecei-vos, quanto puderdes,nas tarefas do bem.
Se magoastes o coração de alguém, não hesiteis em lhe pedir perdão sucessivas vezes, porquanto, se temos a obrigação de perdoar setenta vezes sete a quem nos ofenda, caso sejamos nós os algozes, peçamos às nossas vítimas um perdão ilimitado através de nossas atitudes de regeneração.

A verdade, não vos esqueçais disto, nunca está do lado de quem acusa e fere.

Humilhados por aqueles que vos conheçam os pontos vulneráveis da personalidade, aprendei a contar com a Compaixão Divina que vos ama como sois e não vos aponta o dedo em riste.

Sobre a Terra, a cavaleiro da situação que examina, não há quem possa censurar ninguém ou atirar a primeira pedra.

Por certo, na jornada que cumprimos, muitos tropeços ainda nos esperam, todavia não nos seja isto pretexto para contemporizarmos com o mal ou exercermos excessiva tolerância em causa própria, nos equívocos que perpetramos.

Filhos, que o Senhor vos abençoe e vos fortaleça.

Não olvideis que, se os homens são faltos de misericórdia para com os seus irmãos em Humanidade, Deus não se nega ao perdão a nenhum de seus filhos, mas concede sempre aos que se revelam mais débeis dentre eles a bênção do recomeço no clima da lição.

BEZERRA DE MENEZES
IN: Coragem da Fé

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

ORAÇÃO pelos ENTES QUERIDOS

Senhor Jesus! Concedeste-nos os entes queridos, por tesouros que nos emprestas. Ensina-nos a considera-los e aceita-los em suas verdadeiras condição de filhos de Deus, tanto quanto nós, com necessidades e esperanças semelhantes às nossas. Faze-nos, porém, observar que aspiram a gêneros de felicidade diferente da nossa e ajuda-nos a não lhes violentar os sentimentos, em nome do amor, no propósito inconsciente de escraviza-los aos nossos pontos de vista.

Quando tristes, transforma-nos em bênçãos capazes de apóia-los na restauração da própria segurança e quando alegres ou triunfantes nos ideais que abraçam, não nos deixes na sombra do egoísmo ou da inveja, mas ilumina-nos o entendimento para que lhes saibamos acrescentar a paz e a esperança.

Conserva-nos no respeito que lhes devemos, sem exigir-lhes testemunhos de afeto ou de apreço, em desacordo com os recursos de que disponham. Auxilia-nos a sermos gratos pelo bem que nos fazem, sem reclamar-lhes benefícios ou vantagens, homenagens ou gratificações que não nos possam proporcionar.

Esclarece-nos para que lhes vejamos unicamente as qualidades, ajudando-nos a nos determos nisso, entendendo que os prováveis defeitos de que se mostrem ainda portadores, desaparecerão no amparo de tuas bênçãos. E, se algum dia, viermos a surpreender alguns deles, em experiências menos felizes, dá-nos a força de compreender que não será reprovando ou condenando que lhes conquistaremos os corações, mas sim entregando-os a ti, através da oração, porque apenas tu, Senhor, podes sondar o íntimo de nossas almas e guiar-nos o passo,
para o reequilíbrio nas Leis de Deus.


Autor Espititual: Emmanuel
Psicografada por: Médium: Francisco Cândido Xavier

IN: SENDA de LUZ - PRECES

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Carlos Bacelli em LX

RESUMO da Visita

Estas foram as notas que eu terei no Domingo,
Espero que para aqueles que não conseguiram ir, vos dê uma pequena ideia do que foi
explicitado por :
Carlos Bacelli na Faculdade de Medicina Dentária 12 de Setembro de 2010.

Kardec Chico Xavier e André Luís Espiritismo é a religião do Livro, diz o Dr. Odilon Fernandes.
É uma doutrina racicionada, progressista, evolucionista.
Tudo é visto à luz da razão e do progresso em geral.
Há medida que vamos ganhando conhecimento vamos recebendo do Mundo Espiritual mais e mais informações sobre a vida de ambos os lados.
Do chamado Mundo Físico e do chamado Mundo Espiritual.

Da Terra também vamos recebendo informação vindas daqueles que são os pensadores, que são irmãos nossos com maiores capacidades de raciocínio, com conhecimentos adquiridos, como seja o Deolindo Amorim, o Herculano Pires o Prof. Humberto Marioti. E muitos outros pensadores e estudiosos.

O Islamismo, o Judaísmo o Budismo são religiões de longa data mas que têm a mesma filosofia, seguem os mesmos ensinamentos desde o inicio. Em nada evoluíram e tal como o Catolicismo levam-nos apenas até à morte. Nada nos ensinam ou explicam sobre a vida após a morte do corpo físico. O que vem depois?
De onde vimos, para onde vamos, o que fazemos aqui e qual a rezão do sofrimento são questões que a todos nos interessa e nenhuma outra filosofia ou religião nos explica estas questões fundamentais.


O Mundo tem progredido em várias vertentes, como seja a nível cientifico e intelectual e as religiões não o têm acompanhado nos seus ensinamentos.
Uma lacuna que tem saído muito cara.
O Materialismo está cada vez mais implantado na Sociedade a cada vez mais está ocupando o espaço das religiões.
A nossa juventude, na sua maioria cada vez menos se ocupa com as questões do Espírito.
Estão muito mais virados para o imediatismo.
As religiões não lhes dão nada, não lhes transmitem nada sobre as questões actuais, fundamentais.

A Doutrina Espirita é uma Doutrina progressista.
Tem as suas bases que Kardec compilou com a falange do Espírito da Verdade devidamente estudadas e comprovadas de várias formas no espaço de 15 anos.
Esses princípios são inalteráveis, são a palavra da Vida Eterna.
No entanto Kardec disse que se alguma vez qualquer coisa que ele tenha escrito fosse provada errado, pela ciência, que deveríamos então seguir a ciência e por de parte o que ele escreveu.

Isto não aconteceu até hoje.

A doutrina tem sim vindo a ser cada vez mais esclarecedora.
Desde Kardec depois com os livros de Chico Xavier que foram ditados pelos Espíritos, pensamos mesmo que sejam até os mesmo que trabalharam com Kardec.
Estes quase 400 livros explicam mais detalhadamente o que Kardec escreveu e levantam alguns véus sobre a vida no Mundo Espiritual como podemos ler nos livros ditados por André Luís.

O Espiritismo tem avançado tanto no campo da filosofia como e também da ciência e até da religiosidade.

Deus é o CRIADOR e todos nós, mesmo Jesus apenas somos co-criadores com Ele.
Cada um na medida do seu adiantamento.

Para podermos sentir a vida espiritual temos de ter os sentidos apropriados e necessários.
Todo o nosso corpo está a perder órgãos e outras funções que já não necessitamos.
Vejamos os dentes. Os caninos já não são afiados. Temos menos molares, o tal dente do ciso já não cresce em muitos seres.
Mas o cérebro, esse cada vez cresce mais, principalmente a parte frontal.
Sabemos que as pessoas mais inteligentes, os sobredotados, usam apenas 10 % do cérebro.
Deus nada cria sem ter uma finalidade por isso os outros 90% para que serão?

Kardec não era reencarnicionista inicialmente.
Foram os Espíritos que a traves da razão o convenceram.

Augusto Ceser Neto escreveu em “Falou e Disse” (GEEM) que todos os nascimento ou reencarnações nunca são iguais.
O Mundo Espiritual não é espirita pois o Espiritismo só existe há pouco mais de 150 anos.

O “Outro Lado” é como aqui.
Há de tudo.
Muitos nascem sem consciência e partem sem consciência.
Quem reencarna com consciência e vive com lucidez irá desencarnar com consciência.
Essa reencarnação irá ser programada sim.
Mas quantos estão nesta facha?

Tudo o que a Doutrina explica, todos os seus princípios básicos já eram conhecidos mas não eram explicados ou desenvolvidos.

O corpo espiritual já se encontra no mineral e como disse Leon Dinis
ele dorme na pedra, agitasse no mineral, manifesta-se no animal e acorda no homem e disse alguém mais que se sublima no Anjo.

Na Historia da Humanidade houve muitos descobridores.
Muitos deles Portugueses que desbravaram os mares.
Todos eles têm estátuas nas várias partes do Mundo.

Allan Kardec desbravou o Mundo Espiritual.
Mas nenhum sábio na Terra saberá dizer onde acaba o Mundo Físico e começa o Mundo Espiritual.
Este é de uma espécie de matéria quintencenciada.
Para um estudo mais abrangente os espíritas devem comparar o Livro dos Espíritos com a Géneses e com as obras do Chico que têm o complemento e o desdobramento que emerge naturalmente da codificação.

Cabral quando descobriu o Brasil pensou que era uma Ilha e chamou-lhe a Ilha da Pascoa.
Allan Kardec levou-nos às praias do Mundo Espiritual.
Ele começou a sua descoberta com 50 anos e levou 15 anos exaustivos para nos deixar o Pentateuco.
O marujo da sua caravela foi André Luís que tal como o marujo de Cabral foi mesmo ao local e verificou que não era apenas uma Ilha mas uma Terra muito fértil com muito para dar no futuro a todos que a quisessem aceitar.
Assim é que André Luís através de Chico nos traz a cidade do Nosso Lar.
Uma cidade Espiritual entre muitas e muitas outras que existem no Mundo Espiritual e onde não são apenas Espíritas que lá se encontram.
O Mundo Normal do homem é o Espiritual.
Foram essas Cidades Espirituais que deram origem aos Mundos físicos.
A vida viaja na luz.

Na Terra vivênciamos um Mundo transitório.
Os Mundos Espirituais sobrevivem a tudo.
São espaços multi universais.

Vejamos a cebola e as suas diversas camadas.
Ela nos dá uma ideia desse Mundo de camadas.
Sabemos que o número 7 está em muita coisa e também são 7 os umbrais.
As várias camadas "pergatoriais" em volta da Terra .

Para explicar melhor o Nosso Lar temos o livro "a Cidade do Além" que nos traz desenhos dessa mesma cidade (ver o livro "Sementeiras de Luz" ,do Neio Lúcio) ela é situada por cima do espaço do Brasil.
A sua autora terrestre foi Hegromina Cunha o autor Espiritual seu mentor, Lúcios que era o Camilo Flamarion noutra vida.

Chico disse que enquanto cá estivermos é de aproveitar bem e fazer tudo que nos compete fazer.

É que no outro lado não iremos resolvemos nada do que ficou cá por resolver.
E ao regressar ao Mundo Espiritual teremos também que nos colocar na fila, para voltar a reencarnar.
Coisa difícil nestas alturas em que a Terra sofre uma diminuição demográfica.

Também existe gravidade no Mundo Espiritual, de acordo com cada plano.
Enquanto na Terra estamos sujeitos à gravidade estamos também encerrados num escafandro, numa penitenciaria de alta segurança que é o nosso corpo físico.
Temos, no entanto a liberdade de pensamento que não tem limites.

Existem portais magnéticos, estradas de luz, buracos de minhocas, como diz a física quântica.
O mar é utilizado pelos espíritos como portal de entrada na Terra.
Os dois planos interagem.
O Dr. Inácio diz que o Mundo Espiritual começa na ponta do nosso nariz.
Nesses mundos extra físico existe uma vida social activa.

André Luís no livro "Libertação", dá-nos a conhecer um dos Mundos Espirituais, das trevas, do passado. Foram essas Cidades Espirituais que deram origem aos Mundos físicos actuais.
A vida viaja na luz. Esta é uma Cidade Gregoriana da Idade Média. A cidade do futuro é que nos é revelada no Nosso Lar, mas a mãe do André Luís vem ainda duma região mais acima, dum futuro ainda mais longínquo.

Jesus iniciou a sua caminhada 4000 anos antes de chegar à Terra.
Ele foi passando pelas várias camadas espirituais até nascer na Terra e nesses locais foi sempre pregando a palavra de Deus, nosso Pai mas de acordo com o entendimento e conhecimento dos habitantes desses locais.
Após a sua morte física, aqui na Terra, e como se diz no credo católico, desceu aos infernos ou seja continuou a reencarnar nos planos ainda mais abaixo.

Para melhor ainda entendermos a cidade Nosso Lar devíamos estudar o livro "Nosso Lar" em conjunto com o "Brasil Coração do Mundo Pátria do Evangelho".

Espírito Puro significa Puro Espírito e é aquele que já não tem mais nada de material mas ainda irá evoluir, pois evoluímos sempre e é essa a nossa finalidade.

Deus é inatingível pois isso o progresso não tem limites.

A Venerando de nosso Lar é a nossa Rainha Santa Isabel.
Ela é a Ministra do Ministério da regeneração.

A melhor maneira de nos livrarmos dos nossos inimigos é perdoar-lhes o mal que nos fizeram.
A violência só deixara de existir quando já não existir o desemprego.
O espírito quanto mais evoluído mais trabalha.
Quem é preguiçoso e dorme muito não evolui.

No Mundo Espiritual quem não trabalha só tem direito ao mínimo necessário.
Mais alguma coisa que queira terá de trabalhar para o obter.
Todo o trabalho recebe "Bónus Hora".
Esse é a moeda de troca no Além.
Para ter um lar é necessário juntar bastantes desses Bónus-Hora.

Para divulgar o Espiritismo basta incorporar o Evangelho
e não é necessário incorporar os espíritos.

POR: Teresa Moreira Mateus (Centro Esp. Casa do Caminho - LX)
«««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««««

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Amor aos desafetos

QUE EU NÃO PERCA (Chico Xavier)


Amor aos desafetos

O amor resume toda a Doutrina do Mestre Jesus.

Em resposta à pergunta dos fariseus, sobre qual era o maior mandamento, ensinou que o amor a Deus e ao próximo como a nós mesmos resumia toda a Lei.

Mas quem será o próximo? Será apenas aquele que nos ama?

Em outra passagem do Evangelho, o Rabi nos recomenda que amemos nossos inimigos, que façamos o bem a quem nos odeia e que oremos pelos que nos perseguem e caluniam.

O Mestre nos fala que nenhum mérito teremos em amar somente quem nos ama ou fazermos o bem somente a quem nos faz o bem.

Amar quem nos ama, quem nos trata bem, quem para nós só tem pensamentos bons não nos exige qualquer esforço, é natural de nossa parte. Sorrir a quem nos sorri, ser amável a quem é amável para conosco é fácil.

O que ocorre, no entanto, é que costumamos amar somente quem tem atitudes amáveis para conosco.

Poucos agimos com amor para com aqueles que não conseguem nos amar.

A ideia de amar quem nos prejudica, quem para nós só tem pensamentos negativos, pode nos parecer um tanto absurda.

No entanto, é preciso entendamos o que o Mestre nos quis transmitir.

Ele não quis nos dizer que tenhamos para com nosso inimigo a ternura que dispensamos aos nossos amigos e irmãos, pois a ternura pressupõe confiança.

Não se tem confiança verdadeira em quem nos dirige pensamentos negativos, pois os pensamentos criam uma corrente de fluidos e, se esses são impregnados negativamente, não há como inspirar bons sentimentos.

Mas não devemos, em troca, emitir o mesmo padrão de pensamentos. Ou ter o mesmo tipo de atitudes de quem nos prejudica, pois assim nos igualamos a eles.

Amar os inimigos não é, portanto, ter para com eles uma afeição que não é compatível com os sentimentos negativos que deles emanam e aos quais não somos indiferentes. Mas é não guardar ódio ou rancor ou desejo de vingança.

Amar os inimigos é perdoar-lhes, sem pensamento oculto e sem quaisquer condições impostas, o mal que nos tenham causado.

É não opor nenhuma restrição à reconciliação com eles, é desejar-lhes o bem e não o mal, é experimentar alegria com o bem que lhes aconteça, é ajudá-los, se possível.

É, por fim, jamais emitir pensamentos ruins e, muito menos ter atitudes negativas para com eles, abstendo-se por palavras ou por atos, de tudo aquilo que os possa prejudicar.

Como Jesus nos recomendou, é oferecer a outra face, a face da benevolência e do perdão, frente alguma agressão moral, física ou material.

É agir com caridade, pois, se amar o próximo constitui o princípio da caridade, amar os inimigos é a mais sublime aplicação deste princípio, e tal virtude representa uma das maiores vitórias contra o egoísmo e o orgulho.


Autor:
Cap. XI e XII do livro

O Evangelho Segundo o Espiritismo,
de Allan Kardec, ed. Feb.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Escola Santa - Jesus Gonçalves

É meu desejo afirma-vos
Devedor que tenho sido
Que a lepra não vem a nós
Sem ter um justo sentido.


Segundo as lições da terra
Que a verdade nos aponta,
A nossa vida até hoje,
É de existências sem conta.


Muitas vezes renascendo,
Quis ser alto, chefe ou rei,
Exterminei multidões,
Rasgando normas de lei.


Por séculos fui assim,
orgulho vão que se expande,
Domínio da crueldade
Na mania de ser grande.


Até que um dia cansado
De ser déspota violento,
Pedi a Deus me prendesse,
Na cela do sofrimento...


Dos céus chegou-me a resposta:
Teria eu doce cruz...
Renascendo, minha mãe
Quis chamar-me por Jesus.


Para esquecer o passado
E elevar o coração,
Tive um reino de feridas
E um trono de solidão.


Sofri e chorei, entretanto,
Ante o Mestre Nazareno
Tenho agora a Santa Lepra
Que me ensina a ser pequeno.


(Estradas e Destinos- Francisco Cândido Xavier)

---------------------------------------------------

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Pensamento

"Ser feliz não é ter uma vida perfeita. Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância. Usar as perdas para refinar a paciência. Usar as falhas para esculpir a serenidade. Usar a dor para lapidar o prazer. Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência."
Augusto Cury

segunda-feira, 26 de abril de 2010

A MARIA



Eis-nos, Senhora, a pobre caravana
Em fervorosas súplicas, reunida,
Implorando a piedade, a paz e a vida,
De vossa caridade soberana.

Fortalecei-nos a alma dolorida
Na redenção da iniqüidade humana,
Com o bálsamo da crença que promana
Das luzes da bondade esclarecida.


Providência de todos os aflitos,
Ouvi dos Céus, ditosos e infinitos,
Nossas sinceras preces ao Senhor...

Que a vossa caravana da verdade,
Colabore no bem da Humanidade,
Neste banquete místico do amor.

Fonte: LIVRO: "A Luz da Oração" - Espíritos Diversos
Ditado pelo Espírito : Bittencourt Sampaio
Psicografada por: Médium: Francisco Cândido Xavier

VIVEREMOS sempre



Filho, não humilhes os ignorantes e os fracos.
Todos somos viajores da vida eterna.
Do berço ao túmulo atravessamos apenas um ato do imenso drama de nossa evolução para Deus.
Por vezes, o senhor veste o traje pobre do operário humilde para conhecer-lhe as duras necessidades, e o operário humilde veste o suntuoso traje do senhor para conhecer-lhe as duras obrigações na tarefa administrativa.
Quando um homem menospreza as oportunidades de tempo e dinheiro que o Céu lhe confia, volta ao mundo em outro corpo, experimentando a escassez de tudo.
Não escarneças do aleijado. Tua boca poderá cobrir-se de cicatrizes.
Não recolhas os bens que te não pertencem. Teus braços são suscetíveis de caírem paralíticos, sem que possas acariciar o que é teu, provisoriamente.
Não caminhes ao encontro do mal, porque o mal dispõe de recursos para surpreender- te, talvez com a perturbação e com a morte.



Ajuda e passa adiante, expandindo um coração compassivo para com todas as dores e cheio de amor e perdão para todas as ofensas.
Quando não puderes louvar, cala-te e espera, porque a língua viciada na definição dos defeitos alheios regressa ao mundo em plena mudez.
Quem chega através de um berço risonho, na maioria dos casos é alguém que torna ao campo da carne, a fim de restaurar-se e aprender.
Assim como a flor se destina ao fruto que alimenta, o teu conhecimento deve produzir a bondade que constrói e santifica.
Lembra-te de que longo é o caminho e que necessitaremos trocar de corpo, na direção da vitória final, tantas vezes quantas forem precisas, até que a indispensabilidade da vestimenta física se desvaneça com as encarnações sucessivas.. .
Colheremos da sementeira que fizermos.
Não desprezes, assim, os menos felizes.
O malfeitor e o vagabundo que se deixaram escravizar pelos demônios da preguiça são igualmente nossos irmãos. Ajudemo-los, através de todos os meios ao nosso alcance.
Nem sempre o verdadeiro infortunado é aquele que se debate num leito de sofrimento. Não olvides o infeliz bem trajado que cruza as avenidas da ignorância, sem paz e sem luz.
Filho meu, voltaremos ainda à Terra, provavelmente, muitas vezes...
O serviço de redenção assim o exige.
Ama a todos.
Auxilia indistintamente.
Semeia o bem, à margem de todas as estradas.
Recorreremos ao amparo de muitos. É da Lei do Senhor que não avancemos sem os braços fraternos uns dos outros.
Prepara, desde agora, a colaboração de que necessitarás, a fim de prosseguirmos, em paz, montanha acima! Sê irmão de todos,
para que te sintas, desde hoje, no centro da grande família humana, e o Senhor Supremo te abençoará.

Neio Lúcio
(Do livro "Alvorada Cristã, 33, Francisco C. Xavier)


IN: Instituto André Luiz
http://www.institutoandreluiz.org/

-------------------------------------------------

domingo, 4 de abril de 2010

Maus tratos

Com relativa frequência se tem notícias de maus tratos infligidos por adultos a crianças.

Não nos referimos àqueles de tal monta que requerem atendimento médico especializado, quais sejam, queimaduras graves, espancamentos e prisões domiciliares, que decorrem de pessoas doentes.

Referimo-nos ao que se vê, transitando pelas ruas, a passeio, em clubes, cinemas, parques de diversão, shoppings.

São mães que conduzem a criança pela mão, sem se aperceberem que o pequeno tem menor estatura que elas, que o bracinho dele fica suspenso, em incômoda posição, que lhe deve causar desconforto e com certeza, dor.

Esquecem-se, igualmente, de que as pernas do pequerrucho não são tão longas quanto as suas, adultas, e não buscam diminuir o passo.

Ao contrário, o filho é que deve andar quase a correr, para acompanhar as largas passadas da mãe.

Quando a criança tropeça é suspensa pelo braço, de forma brusca, como se o membro infantil não apresentasse fragilidade, desmerecendo cuidados.

Alguns adultos tomam os filhos, dizendo que os levarão a passear, mas na verdade o que tais adultos têm em mente é apenas levarem as crianças e fazerem o que eles querem.

Param quando se sentem cansados ou encontrem um amigo para conversar, sem jamais indagarem das crianças o que elas desejam.

Por isso, quando os pequeninos se detêm, admirados, ante uma vitrina cheia de brinquedos ou de gravuras coloridas, ou um animal que passa, são de imediato arrancados de sua observação, aos puxões.

De outras vezes, em plena rua, perante os transeuntes, levam palmadas violentas na cabeça, nos braços, na boca, acrescidas de adjetivos depreciativos, por estarem a olhar, descuidadas para algo ou alguém e baterem o rosto no poste, tropeçarem ou caírem.

Quando assim procedemos, estamos nos esquecendo de que, vez ou outra, fazemos exatamente a mesma coisa.

Além do que, demonstramos o pouco ou nenhum conhecimento em matéria de psicologia, não recordando que a criança agredida se sente menosprezada, humilhada, fato que a marcará de maneira indelével.

Toda agressão moral ou física que sofre lhe marca a ferro e fogo a personalidade.

Não será de nos admirarmos se, com tais tratamentos, os rebentos de hoje retribuírem no amanhã de idêntica forma a quem se lhes aproxime, desde que, sendo um caráter em processo de educação, absorvem o que veem, sentem e padecem.

Repensemos nossos posicionamentos, pois que para se ensinar a conjugação dos verbos amar, acarinhar, aconchegar, é imperioso exemplificar.

Todas as palavras que não encontram sólido apoio nos atos são vazias, sem valor para a formação de outrem.

Jesus, o Divino Modelo, fez-Se criança e Se entregou aos cuidados de José e Maria, graças a cujos desvelos pôde chegar à adolescência, à juventude e, como Homem Integral, nos deixar Sua mensagem imorredoura de amor.

À semelhança Dele, os Espíritos que nascem como nossos filhos, buscam o melhor de nós para darem, no futuro, o melhor de si mesmos.

* * *

Os filhos são bênçãos que nos chegam. Alguns deles são como pedras brutas para a lapidação. Se fizermos a nossa parte, poderemos seguir tranquilos na direção do futuro e de Deus, o Excelso Pai de todos nós.

Redação do Momento Espírita,
com pensamento final extraído do verbete Filhos, d
o livro Repositório de sabedoria, v. 1,
pelo Espírito Joanna de Ângelis,
psicografia de Divaldo Pereira Franco,
ed. Leal.
-------------------------------------------------------------------

domingo, 7 de março de 2010

Lei do Amor

Você sabe definir com exatidão o que é a palavra caridade?

Para muitos, ela significa a ajuda material a quem necessita. Sem dúvida este é o modo de aliviar, mesmo que temporariamente, a fome, a sede, as necessidades básicas de inúmeras criaturas.

Muitos de nós talvez tenhamos despertado para a caridade através da ajuda material, frequentemente doando o que nos é supérfluo. Mas ela não se restringe a isto.

Um dos mais conhecidos dicionários da língua portuguesa define caridade como o amor que move nossa vontade na busca do bem do outro.

Inúmeras obras da Doutrina Espírita nos falam da necessidade de se doar, de coração, a outras pessoas. E essa doação se faz em vários níveis. Há, inclusive uma frase que nos diz: Fora da caridade não há salvação.

Lembremos da parábola do samaritano, que Jesus contou em resposta ao doutor da lei que lhe perguntou quem era o seu próximo.

Um homem fora vítima de assaltantes em uma estrada, e ficara muito ferido, sem sentidos e abandonado. Dois viajantes o viram, mas nada fizeram.

Passava, então, pela estrada, um habitante da região da Samaria, que, por tal razão, era desprezado pelo povo judeu, do qual o homem ferido fazia parte.

O samaritano, ao se deparar com o ferido, interrompeu sua viagem e o atendeu, movido por profunda compaixão. Limpou suas feridas, lhe fez curativos e, colocando-o no lombo de seu animal, o levou a uma hospedaria.

Ali, tratou de cuidar do desconhecido por uma noite. Na manhã seguinte, tendo de seguir viagem, pagou adiantado ao dono da hospedaria para que esse mantivesse o ferido até que se recuperasse.

Fez ainda mais: prometeu que, se houvessem gastos além do que adiantara, ele pagaria quando retornasse ao local. E seguiu viagem.

Ora, esse homem não doou apenas seu dinheiro. Doou seu tempo, atenção, amor. Sabia que não poderia deixar a ajuda para a volta da viagem, ou seria tarde. Não sabia sequer o nome do homem a quem ajudara. Apenas sabia ser seu irmão.

É esta a verdadeira caridade da qual nos fala Jesus. É a forma de autodoação, de anulação do egoísmo, de libertação do próprio ego.

A parábola nos fala da ajuda a um desconhecido, em uma situação extrema. Mas, a mensagem que ela nos traz é muito ampla.

Muitas vezes as pessoas que precisam de nossa caridade estão muito próximas de nós, por vezes em nosso próprio convívio familiar.

O filho com problemas de aprendizado e que precisa tanto de toda a nossa atenção; o irmão que não segue o caminho do bem e que anseia por nosso amparo e perdão para retornar ao seio da família.

O pai com dificuldades materiais que necessita de nosso auxílio neste momento difícil, a mãe adoentada que espera por nossos cuidados, e tantos outros que aguardam por um carinho, por uma palavra de compreensão.

* * *

Doar-se verdadeiramente sem querer nada em troca, exercitar o amor fraternal, esta sim é a lição mais pura e mais profunda do amor de Jesus.

A parábola do samaritano é um maravilhoso chamamento à prática da caridade, e, depois de entendida passa a nos soar como a voz de Jesus que disse àquele doutor da lei: Vai e faze tu o mesmo.

--------------------------------------------------

sábado, 6 de março de 2010

Os 10 Passos para a Tranquilidade

Os 10 Passos para a Tranquilidade


1 - Comece o dia na luz da oração.
O amor de Deus nunca falha.

2 - Aceite qualquer dificuldade sem discutir.
Hoje é o tempo de fazer o melhor.

3 - Trabalhe com alegria.
O preguiçoso, ainda mesmo quando se mostre num pedestal de ouro maciço,
é um cadáver que pensa.

4 - Faça o bem quanto possa.
Cada criatura transita entre as próprias criações.

5 - Valorize os minutos.
Tudo volta, com exceção da hora perdida.

6 - Aprenda a obedecer no culto das próprias obrigações.
Se você não acredita na disciplina, observe um carro sem freio.

7 - Estime a simplicidade.
O luxo é o mausoléu os que se avizinham da morte.

8 - Perdoe sem condições.
Irritar-se é o melhor processo de perder.

9 - Use a gentileza, mas, de modo especial, dentro da própria casa.
Experimente atender aos familiares como você trata as visitas.

10 - Em favor de sua paz conserve fidelidade a si mesmo.
Lembre-se de que, no dia do Calvário,
a massa aplaudia a causa triunfante dos crucificadores,
mas o Cristo, solitário e vencido, era a causa de Deus.

André Luiz / Chico Xavier